Vítima foi chantageada com vídeo de crime.

 

ação de uma equipe da Polícia Militar salvou a vida de uma jovem de 20 anos que estava prestes a cometer suicídio, na terça-feira (22), em Três Corações, no Sul de Minas.

 

Ela alegou aos militares que a ação desesperada ocorreu em decorrência de estupros constantes que sofre, mediante chantagem, pelo primo de seu companheiro.

 

A Polícia Militar foi acionada na noite de ontem, 23/10. 

 

 A jovem estava dentro de casa ameaçando se matar com uma faca apontada para o peito. Os militares prontamente se deslocaram e iniciaram uma longa conversa para convencer a mulher a desistir da ideia. A jovem, no entanto, afastou a arma do corpo para tomar impulso e se ferir.

 

Nesse momento, os cabos Joaquim Souza e Daniel Queiroz agiram rapidamente e conseguiram segurar os braços da mulher. Logo em seguida, a desarmaram, sem que ela sofresse qualquer ferimento físico, e a encaminharam ao hospital São Sebastião.

 

 

Estupros

 

Inicialmente, a jovem justificou a ação desesperada aos militares ao afirmar que possuía relação conturbada com o companheiro, pai do filho de 3 anos, e que estava desempregada. Mas, durante o atendimento no hospital, a mulher decidiu contar o que os policiais classificaram como real motivo da tentativa de suicídio.

 

A jovem estava sendo estuprada pelo primo do companheiro. Inicialmente, ela chegou a ter uma relação sexual consensual, a qual foi filmada pelo homem sem a ciência da mulher. Desde então, ele ameaça divulgar a cena para estuprá-la: foram cinco ocasiões, sempre segundo a denúncia da mulher aos militares.

 

O homem também teria ameaçado matar o filho dela caso o crime fosse denunciado.

 

O estupro mais recente teria ocorrido momentos antes da tentativa de suicídio. O homem pegou a vítima e a levou até uma estrada de terra, onde cometeu o crime sexual. Após discussão, o suspeito disse que pararia com a chantagem, mas ficaria com o celular dela.

 

No hospital, a equipe médica confirmou sinais de relação sexual e pequenas lesões na jovem.

 

A polícia encontrou o celular dela escondido no guarda-roupas do suspeito, que nega ter chantageado a jovem ou mesmo ameaçado o filho dela.

 

Ele justificou estar com o celular da jovem alegando que ela devia o conserto do aparelho, pago por ele. Por fim, disse que a filmagem do sexo foi feita com a permissão da mulher.

 

O suspeito foi detido por estupro.