Pedido de criança para doação veio após uma reportagem sobre a ação e surpreendeu a família em Pouso Alegre.

“Eu falei: 'mãe, eu tenho um cabelo muito grande, eu quero cortar, quero doar pra eles'”. A fala é da Sophia Isadora Moreira, de 6 anos, de Pouso Alegre (MG). A menina surpreendeu a família ao pedir para cortar os cabelos para doá-los a pacientes com câncer. A ideia veio após uma reportagem sobre a ação Outubro Rosa.

 

Sophia assistiu a uma reportagem da EPTV, afiliada da Rede Globo, que falava sobre doação de lenços para pacientes que perdem o cabelo no tratamento da doença.

 

“Ela perguntou porque eles estavam carecas e colocando o lenço. Criança é muito curiosa, ela principalmente agora fica naquela fase do porquê. Eu fui explicar para ela que algumas pessoas ficam doentes, têm que tomar medicamento e o cabelo cai”, explicou a dona de casa, Irlândia Massafera Moreira.

 

Sophia é bem detalhista ao contar como pediu para a mãe para cortar os cabelos. “Olhei na TV com a minha mãe, as pessoas ‘tavam’ usando lenço no cabelo pra esconder. Aí eu fiquei muito triste”.

E foi insistente. “Aí minha mãe falou: ‘não corta, Sophia, não corta’. Aí eu falei: ‘eu quero cortar’. Aí minha mãe levou eu no cabeleireiro e eu cortei e doei”.

 
Menina de 6 anos, de Pouso Alegre (MG) cortou os cabelos para campanha — Foto: Ricardo Caroba/EPTVMenina de 6 anos, de Pouso Alegre (MG) cortou os cabelos para campanha — Foto: Ricardo Caroba/EPTV

Menina de 6 anos, de Pouso Alegre (MG) cortou os cabelos para campanha — Foto: Ricardo Caroba/EPTV

 

A doação

Após o corte, o cabelo doado por Sophia foi para uma instituição que funciona de forma voluntária. A Casa São Rafael tem 22 anos e, por dia, recebe em média a doação de mechas de 10 pessoas.

 

“As pessoas cortam, tem salão de cabeleireiro que o próprio cabeleireiro corta e vai juntando. Tem pessoas que no hospital doam pra gente, tem um grupo que ajuda a gente e doa, então o dia todo chega cabelo aqui”, explica a coordenadora da casa Fernanda Célia Ribeiro de Oliveira.

 

Para quem sofre com a rotina do tratamento, ações como a de Sophia trazem um impacto positivo, Quem recebe, garante que o efeito na autoestima é poderoso.

 

“O cabelo é visível. A mama a gente disfarça com uma roupa, uma jaqueta. Agora, o cabelo, é a beleza da mulher, não que seja o mais importante, mas a gente que tem uma vaidade é importante sim”, contou a auxiliar de limpeza Eliedna de Jesus Barreto.