Dose combate doenças como difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e um tipo de bactéria.

Algumas cidades do Sul de Minas enfrentam a falta de doses da vacina pentavalente na rede pública de saúde. Moradores têm dificuldade de encontrar nos postos a vacina que combate doenças como difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e a bactéria Haemophilus Influenze Tipo B.

O problema se estende desde o segundo semestre de 2019. Segundo o Governo Federal, os lotes das vacinas já produzidas foram reprovadas em julho pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A vacina não é fabricada no Brasil e houve problema neste lote produzido no exterior. Com a reprovação do lote, houve o desabastecimento em todo o país, o que teve reflexo no Sul de Minas.

Sem previsão para que a situação de regularize, muitas pessoas têm recorrido às doses pagas na rede particular. O valor pode chegar a R$ 400.

"A pentavalente como as outras faz parte do programa nacional de imunização. É uma vacina combinada que protege contra cinco doenças. O Haemophilus pode causar meningite, pneumonia, otite. É feita em três doses, dois, quatro e seis meses, com reforço aos 15 meses e outro aos quatro anos", explicou o médico pediatra Lucas Gabriel Ribeiro.

 

 

Distribuição

 

O Ministério da Saúde começou a distribuir no dia 9 de janeiro mais de 1,7 milhão de doses da vacina para os estados. Após o recebimento, o produto é encaminhado aos municípios.

As últimas doses chegaram às quatro superintendências de saúde do Sul de Minas entre os meses de outubro e novembro de 2019. Confira o número de doses:

Doses entregues de vacina pentavalente

Regional Nº de doses
Alfenas 2730
Passos 2330
Pouso Alegre 5150
Varginha 5150

Segundo o setor de Epidemiologia de Passos, a cidade ainda não recebeu nenhuma dose da vacina pentavalente. Não há previsão para o recebimento.

Em Poços de Caldas, a previsão é que as novas doses cheguem nas próximas semanas. Até momento, continuam sem a vacina.

Em Varginha, o desabastecimento continua e não há previsão de entrega. A mesma situação acontece em Pouso Alegre.

Por EPTV 1 — Varginha, MG