Vereador suspeito de participar de 'rachadinha' é considerado foragido em São Lourenço — Foto: Reprodução EPTVVereador suspeito de participar de 'rachadinha' é considerado foragido em São Lourenço — Foto: Reprodução EPTV

Paulo Gilson Chopinho de Castro Ribeiro (PSC) teria feito parte de esquema onde pessoa é beneficiada com um cargo, mas devolve parte do salário em troca.

O vereador de São Lourenço (MG) Paulo Gilson Chopinho de Castro Ribeiro (PSC) foi preso na manhã desta terça-feira (12) em Oliveira (MG). O parlamentar é suspeito de participar de um esquema de 'rachadinha' e era considerado foragido desde setembro.

A rachadinha é um esquema em que uma pessoa é beneficiada com um cargo, geralmente por nomeação política, mas devolve parte do salário em troca. A suspeita de que o vereador estava envolvido chegou ao Ministério Público por meio de denúncia.

Segundo o promotor responsável pela investigação, Leandro Pannaim, o vereador e também um ex-prefeito teriam usado a influência para nomear conhecidos no serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) e, assim, receber parte dos salários deles.

Após as investigações, o Ministério Público fez uma operação para identificar os agentes públicos envolvidos no esquema. E com a ajuda das polícias Civil e Militar, cumpriu três mandados de busca e apreensão, em que foram encontrados quase R$ 12 mil em dinheiro, além de 76 cheques de mais de R$ 161 mil.

Ao todo, o Ministério Público denunciou quatro pessoas por associação criminosa, corrupção ativa, tráfico de influência, favorecimento real e extorsão. Entre elas, o vereador, que teve a prisão preventiva decretada, e foi preso nesta terça-feira.

 
Câmara de São Lourenço — Foto: Reprodução EPTVCâmara de São Lourenço — Foto: Reprodução EPTV

O que dizem os envolvidos

 

Em contato com o G1, a assessoria da Câmara de Vereadores de São Lourenço informou que não está envolvida no processo e que ainda não foi comunicada oficialmente da prisão. Informou ainda que o vereador esteve de licença médica entre os dias 26 de agosto e 9 de setembro e, desde então, não retornou à câmara.

 

FONTE: G1 SUL DE MINAS